quinta-feira, 18 de julho de 2019

Melhorias na segurança pública elevam AL a 3ª posição entre os estados mais competitivo do NE

Ao lado da Solidez Fiscal, setor aparece no Ranking de Competitividade entre as maiores exigências das empresas ao decidir se instalar em uma região


Programas como o Ronda no Bairro contribuíram para redução da violência em Maceió
Programas como o Ronda no Bairro contribuíram para redução da violência em Maceió Foto: Kaio Fragoso
Texto de Rafaela Pimentel

A solidez fiscal de um estado, ou seja, sua eficácia em manter o orçamento em dia e equilibrado sem deixar de promover investimentos para os diferentes setores, tem configurado Alagoas em uma posição estratégica e de destaque diante do mercado de negócios nacional. Contudo, outro fator que gradativamente ganha participação nesta disputa contínua pela liderança da competitividade e atração de novos empreendimentos para uma localidade, sobretudo ligados ao turismo, é o índice das ações de segurança pública.

Enquanto estados do Nordeste como Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará apresentaram crescimento na taxa de homicídios em 2017, Alagoas conquistou a sexta maior redução do país entre os anos de 2007 e 2017, segundo o Atlas da Violência (2019). Paralelo a este resultado, o principal programa de incentivos fiscal do Estado e um dos mais competitivos do país, o Prodesin, foi modernizado e a partir de 2016 passou a oferecer redução de até 92% sob o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
Imagens Kaio Fragoso
Neste novo movimento de interdependência e sintonia entre os setores ligados a redução de violência e a promoção do desenvolvimento econômico, posicionar-se bem diante do cenário competitivo de mercado se tornou prioridade entre os estados. Alagoas sai na frente em vários setores desta disputa. De acordo com a última avaliação do Ranking de Competitividade (2018), ele ocupa o melhor resultado do país no quesito Solidez Fiscal e subiu sete posições na área de Segurança Pública, garantindo ao Estado a 16ª posição do país e a 3ª do Nordeste no ranking.
O conjunto destas atividades tem aumentado não apenas o nível de mercado em si, mas, principalmente, o grau de exigência das empresas ao analisarem os fatores necessários para se instalar e investir em determinada região. No segmento de turismo, a rede de hotéis Flix – empreendimento incentivado pelo Governo do Estado - optou por Maceió como destino estratégico para expansão das suas atividades, como detalha o diretor do grupo em Alagoas, Thayro Cavalcante.

“A escolha aconteceu naturalmente diante do forte crescimento de toda cadeia do turismo no estado, além do fato de Maceió se tornar e permanecer como um destino muito procurado não só pelos brasileiros, mas pelo público da América do Sul. O apoio do Governo seja em segurança pública, incentivos fiscais, infraestrutura, pontos turísticos, capacitação foi fundamento para decisão de investir nesta região”, explicita o diretor.

Valor agregado
Encabeçado pelo mercado consumidor, logística, infraestrutura, segurança pública e mão de obra qualificada, o diferencial competitivo de um Estado agrega vantagens e benefícios exclusivos a serem ofertados para potenciais clientes, ou neste caso, potenciais investidores.
Imagens Kaio Fragoso
Para o economista Lucas Sorgato, Alagoas se posiciona, principalmente no segmento turístico, não apenas por meio de seus atrativos naturais, mas pela consolidação de uma base hoteleira e gastronômica consistente e de qualidade aliado a melhorias na redução da violência.

“A importância da segurança pública é inegável para a competitividade. Vemos estados como o Rio de Janeiro passando por situação problemática de violência, que tem afetado não apenas o setor turístico, como a indústria e o mercado de serviços. Fazendo um contraponto com Alagoas, as diversas ações realizadas nos últimos anos em segurança pública tem ajudado a deixar a região mais atrativa para as empresas, aliado, claro, a já consolidada localização estratégica que favorece muito o âmbito da logística e um programa de benefício fiscal extremamente interessante”, esclarece Lucas Sorgato.

O diálogo construído por meio do fortalecimento das ações de segurança pública e redução da violência refletem diretamente no desenvolvimento econômico do Estado, em especial, sob duas vertentes. É o que salienta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.  “Logo de cara, a retirada de Alagoas do ranking dos estados mais violentos do país tem refletido positivamente no crescimento do setor de turismo. É evidente que no momento de tomada de decisão para uma viagem de férias com a família ou amigos, a violência é motivo fundamental para que as pessoas escolham seu destino. O segundo ponto de influência da segurança pública é a atração de novas indústrias, já que qualquer empresário, seja dentro ou fora do país, não investe em estado que não consegue controlar sua violência”, destaca o secretário.

Agência Alagoas

terça-feira, 16 de julho de 2019

Novo Centro de Diagnóstico e Imagem da Uncisal atenderá 4.500 pacientes por mês

Com a telemedicina, Cedim inaugura nova era na saúde pública de Alagoas; municípios conveniados terão acesso a laudos on-line com rapidez



Foram investidos R$ 172 mil na última etapa da reforma; até dezembro o número de atendimentos se elevará a 8 mil, chegando a 12 mil em 2020
Foram investidos R$ 172 mil na última etapa da reforma; até dezembro o número de atendimentos se elevará a 8 mil, chegando a 12 mil em 2020 Márcio Ferreira

Texto de Severino Carvalho

Inaugurado na manhã desta segunda-feira (15) pelo governador Renan Filho, no bairro do Trapiche, o Centro de Diagnóstico e Imagem Professor Alberto Cardoso (Cedim) representa o início de uma nova era na saúde pública de Alagoas. Por meio da telemedicina, municípios conveniados com a rede de diagnóstico da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) terão acesso a laudos com maior rapidez e que estarão à disposição dos profissionais da área e dos pacientes no interior do estado por meio de aplicativos móveis.

“Vamos avançar na telemedicina. O exame será feito no interior do estado e o laudo sairá de lá remotamente, chegando aqui no Cedim digitalizado, através da internet, para análise dos médicos. Isso garantirá mais agilidade, reduzirá custos e facilitará a vida do cidadão no interior”, afirmou Renan Filho, ao lado do reitor da Uncisal, Henrique de Oliveira Costa, e do secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres.
Segundo o reitor, a unidade terá capacidade para realizar mensalmente 4,5 mil atendimentos e garantirá, aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) da capital e do interior de Alagoas, o acesso a exames como mamografia, desintometria óssea, raio-x, ressonância, ecocardiograma, eletrocardiograma, dentre outros.

O espaço servirá, ainda, ao ensino, pesquisa e extensão da Uncisal. Foram investidos R$ 172 mil na última etapa da reforma. Ainda de acordo com o reitor, até dezembro o número de atendimentos se elevará a 8 mil, chegando a 12 mil em 2020, quando serão realizados exames de ressonância.

“Os municípios poderão usufruir dos serviços desde que entrem na rede de diagnóstico da Uncisal. Eles vão poder receber os laudos virtualmente (telelaudos). Os pacientes poderão, inclusive, ter acesso aos resultados por meio de aplicativo e os médicos vão acompanhar em tempo hábil a entrega dos exames. Esse é o grande diferencial. Os equipamentos são de última geração, equiparáveis aos do setor privado. Vamos atender também o HGE e há a perspectiva de atendermos o Hospital da Mulher”, acrescentou Henrique Costa.
Presente à inauguração, o professor Alberto Cardoso, que dá nome ao Cedim, agradeceu a homenagem. “Estou bastante emocionado, porque estou ligado a isso daqui desde o tempo de estudante. Fui acadêmico do José Carneiro e um dos fundadores das Ciências Médicas. Para mim é uma honra incomensurável ter meu nome ligado a essa casa”, declarou o homenageado.

O governador e o secretário de Estado da Saúde também fizeram a entrega de uma van adaptada para o transporte de pessoas com deficiência ao Centro Especializado em Reabilitação (CER) da Uncisal.

Concurso

O secretário da Saúde afirmou que o sistema de diagnóstico chega para complementar e dar suporte ao processo de ampliação da rede hospitalar de Alagoas, que avança com a construção de cinco novos hospitais (dois na capital e três no interior) e três Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) em Maceió, duas delas em fase de conclusão nos bairros do Jacintinho e Tabuleiro do Martins.

De acordo com Ayres, já integram a rede de diagnóstico de Alagoas e podem contar com os serviços do Cedim os municípios de Teotônio Vilela, Penedo, Murici, Santana do Ipanema e Capela. “O Cedim veio para ficar. Ele será uma retaguarda também para o HGE”, garantiu.

O secretário revelou que irá anunciar, nesta terça-feira (16) a partir do meio-dia, por meio das redes sociais da Sesau e do Governo de Alagoas, as regras para o Processo Seletivo Simplificado (PSS) destinado ao Hospital da Mulher, que será entregue até setembro.

“O governador já autorizou e, até o final do ano, vamos realizar o concurso público da Saúde, depois de 16 anos. Nós precisamos seguir avançando, levando saúde para quem mais precisa”, acrescentou Ayres.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Junho registra menor número de homicídios da história de AL

Estatística também aponta redução de 44,3% em comparação ao mesmo mês do ano anterior


É a primeira vez que este tipo de crime fica abaixo de 100 ocorrências, segundo registros estatísticos da SSP
É a primeira vez que este tipo de crime fica abaixo de 100 ocorrências, segundo registros estatísticos da SSP Foto: Márcio Ferreira
Texto de Vanessa Siqueira e Severino Carvalho

O governador Renan Filho e o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), coronel Lima Júnior, apresentaram, na manhã desta terça-feira (9), os índices das ocorrências criminais registradas no primeiro semestre de 2019. O balanço é positivo e considerado histórico. A apresentação reuniu a imprensa e toda a cúpula da SSP no auditório Aqualtune do Palácio República dos Palmares.
O mês de junho encerrou o primeiro semestre de 2019 com resultados expressivos. O número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) alcançou uma redução histórica de 78 mortes registradas no estado. É a primeira vez que este tipo de crime fica abaixo de 100 ocorrências, segundo registros estatísticos da SSP.

De acordo com levantamento do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), o percentual de redução em comparação ao mês de junho de 2018 é de 44,3%. Naquele ano, foram registrados 140 homicídios no período.
 Márcio Ferreira
“Isso é fruto da sobreposição das políticas públicas bem-sucedidas: dos Centros Integrados de Segurança Pública no interior, do avanço da Força Tarefa, do Programa Ronda do Bairro e da integração das polícias Civil e Militar com o Corpo de Bombeiros e a Perícia Oficial”, avaliou o governador.

Ele recordou que em dezembro de 2013, ocorreram 233 homicídios em Alagoas, o maior da série histórica. “Agora, em junho deste ano, tivemos 78 mortes violentas em nosso estado. Isso significa uma fortíssima redução”, comparou. O número também é o menor já registrado para o mês de junho de toda a série histórica.

No comparativo de janeiro a junho, Alagoas teve 605 CVLIs e também reduziu a quantidade de mortes em relação ao ano passado em 27,1%. Em 2018, o primeiro semestre registrou 830 crimes.
 Secretário Lima Júnior em coletiva (Foto: Márcio Ferreira)

“Estamos aqui comemorando um grande e histórico resultado para Alagoas. Talvez seja a maior redução real dos índices de violência no Brasil. Por outro lado, estamos muito conscientes da responsabilidade que temos para continuar essa luta na busca por um estado mais tranquilo não só para os alagoanos, como também para quem nos visita”, afirmou Lima Júnior.     

Maceió

Na capital, foram registrados 20 homicídios em junho, enquanto que em 2018 o período contabilizou 41 mortes. A redução, de acordo com o Neac, é de 51,2%. Do total do semestre, 177 homicídios foram registrados em Maceió. O número também é o menor da série histórica e, quando comparado com o semestre de 2018, que registrou 263 mortes, constata-se uma redução de 32,7%.

Assim como os homicídios, os assaltos a transporte coletivo em Maceió seguem registrando queda. Em junho deste ano, ocorreram apenas oito assaltos, enquanto que em junho de 2018 foram registradas 37 ocorrências: redução de 78,4%.
 Márcio Ferreira
Já o primeiro semestre deste ano contabilizou 58 ações criminosas contra ônibus na capital. No ano passado, foram 206 assaltos. A redução no semestre é de 71,8%.

Concursos

Durante a apresentação dos números, o governador reafirmou o compromisso de realizar novos concursos públicos para as forças policiais e de promover mais investimentos na área da Segurança Pública.

 “Vamos seguir tocando as políticas públicas bem-sucedidas: inaugurando novos Centros Integrados de Segurança Pública, ampliando o Programa Ronda no Bairro e o Força Tarefa. Investiremos mais ainda em tecnologia. Reafirmo aqui que, no segundo semestre, vamos fazer concurso público para delegado, policial civil e dar continuidade aos concursos para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros”.

Agencia Alagoas

quarta-feira, 3 de julho de 2019

De janeiro a maio, 77 cidades de AL não registraram crimes violentos contra a mulher

Já nos municípios onde ocorreram crimes de janeiro a maio, mais de 76% foram esclarecidos pela Polícia Civil


Mapa mostra municípios onde não ocorreram mortes de mulheres em Alagoas no período
Mapa mostra municípios onde não ocorreram mortes de mulheres em Alagoas no período Ascom SSP
Texto de Amarildo Albuquerque e Vanessa Siqueira

O combate à violência executado pelo Governo do Estado, por meio dos órgãos de Segurança Pública, vem trazendo resultados positivos. De acordo com levantamento da Assessoria Técnica de Estatística e Análise Criminal da Polícia Civil, nos primeiros cinco meses deste ano 77 cidades do interior de Alagoas não registraram nenhum caso de Crime Violento Letal Intencional (CVLI) contra mulheres. O número equivale a cerca de 75% dos municípios alagoanos.

Em abril, o secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, determinou que fosse criada uma força-tarefa para agilizar a apuração de crimes de feminicídio, além de intensificar as ações de prevenção de mortes de mulheres em todo o estado. Dentre as estratégias adotadas, a Polícia Militar dá maior suporte à Polícia Civil nas investigações de crimes com características de feminicídio e de outros atos violentos contra mulheres.

Segundo os dados da PC, as cidades sem crimes violentos contra mulheres são Anadia, Água Branca, Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel, Belo Monte, Belém, Boca da Mata, Branquinha, Cacimbinhas, Cajueiro, Campestre, Campo Alegre, Campo Grande, Canapi, Capela, Carneiros, Chã Preta, Coité do Nóia, Colônia de Leopoldina, Coqueiro Seco, Coruripe, Craíbas, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Feira Grande, Feliz Deserto, Flexeiras, Girau do Ponciano, Igaci, Inhapi, Jacuípe, Japaratinga, Jaramataia, Jequiá da Praia, Joaquim Gomes, Jundiá, Junqueiro, Limoeiro de Anadia e Mar Vermelho.

Também não registraram crimes os municípios de Maravilha, Maribondo,  Matriz de Camaragibe, Messias, Minador do Negrão, Monteirópolis, Murici, Novo Lino,  Olho D’Água Grande, Olho D’Água das Flores, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Pariconha, Paripueira, Passo de Camaragibe, Paulo Jacinto, Penedo, Piaçabuçu, Pindoba, Piranhas, Porto de Pedras, Poço das Trincheiras, Pão de Açúcar, Quebrangulo, Santana do Ipanema, Santana do Mundaú, Senador Rui Palmeira, São Brás, São José da Laje, São José da Tapera, São Miguel dos Campos, São Miguel dos Milagres, São Sebastião, Tanque D’Arca, Taquarana e Traipu.
Fotos: Ascom SSP e Ascom Semudh

Para o secretário Lima Júnior, os números comprovam que a integração policial para combater a violência contra a mulher tem dado certo. Ele também lembra que as forças de segurança seguem empenhadas na elucidação dos crimes que ocorreram e também nas prisões dos autores.

“É importante destacar que, além das ações das Polícias Civil e Militar, a Patrulha Maria da Penha ampliou seus serviços e passou a atuar 24 horas. Isso também fortalece a presença policial junto às mulheres que já foram vítimas de violência. Estamos prendendo aqueles que cometeram homicídios de mulheres  e deixando claro que em Alagoas não há impunidade”, disse.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, este resultado é fruto do trabalho integrado das forças de Segurança Pública de Alagoas, onde a Polícia Militar atua de forma ostensiva com o enfoque da prevenção e a Polícia Civil tem intensificado o trabalho de esclarecimento de crimes com a conclusão de inquéritos policiais – dentro da sua competência constitucional de caráter investigativo, combatendo a impunidade.
Ainda segundo a Polícia Civil, o trabalho investigativo tem obtido resultados bastante significativos. Recentemente, foi divulgado que nos outros 25 municípios em que ocorrem homicídios de mulheres em Alagoas, mais de 76% dos assassinatos foram esclarecidos, um índice expressivo em âmbito nacional.

“Todos os integrantes da Segurança Pública de Alagoas estão de parabéns pelo engajamento, coragem e senso profissional que têm demonstrado no combate à criminalidade, fazendo com que a violência caia diariamente. Destacamos a forma de gestão adotada pela Secretaria de Segurança Pública, na pessoa do secretário Lima Júnior, e o apoio do governador Renan Filho em propiciar condições para que as forças de segurança do Estado possam atuar melhor”, concluiu o delegado-geral Paulo Cerqueira.

Agência Alagoas

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Esgotamento sanitário de Maceió vai beneficiar mais de 360 mil pessoas

Governo do Estado, por meio da Casal, investiu quase R$ 500 milhões na ampliação da cobertura de saneamento da capital


Estação de Tratamento de Esgoto do Benedito Bentes terá tecnologia moderna e vai atender toda a parte alta da capital
Estação de Tratamento de Esgoto do Benedito Bentes terá tecnologia moderna e vai atender toda a parte alta da capital Foto: Ascom Casal
Texto de Diego Barros

Chega a quase R$ 500 milhões o valor investido pelo Governo do Estado, por meio da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), em ampliação da cobertura de esgotamento sanitário de Maceió. O montante é o maior já aplicado nesse tipo de serviço na capital alagoana e vai fazer com que a cobertura dobre, passando dos atuais 35% para 70%.

Isso porque estão em andamento duas grandes obras: uma para implantação de sistema de esgotamento sanitário no Tabuleiro do Martins e Benedito Bentes e outra para implantação de sistema no Farol e bairros adjacentes. Na primeira, o investimento é de R$ 289 milhões, enquanto na segunda é de R$ 185 milhões que, somados, chega ao montante de R$ 470 milhões.

Na parte alta da capital, as obras são tocadas por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre a Casal e o consórcio Saneamento Alta Maceió (Sanama). A previsão é que sejam concluídas nos próximos 18 meses e beneficiem 160 mil pessoas. Somente este ano, foram investidos R$ 15 milhões. Desde o início do contrato até agora, R$ 40 milhões foram aplicados.

Estação de Tratamento de Esgoto do Benedito Bentes terá tecnologia moderna e vai atender toda a parte alta da capital (Ascom Casal)

O resultado desse trabalho já pode ser acompanhado pela população, seja na implantação de redes nas ruas, ou na construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que está sendo erguida numa área do Benedito Bentes.“Essa estação vai usar tecnologia norueguesa e trabalhar com o que há de mais moderno para tratamento de esgoto. Inclusive, o efluente resultante do tratamento poderá ser reaproveitado pela indústria ou devolvido ao meio ambiente, tudo como preconiza a legislação ambiental”, detalhou o presidente da Casal, Clécio Falcão.

Já no Farol, as obras são tocadas pelo consórcio Sanema, que possui com a Companhia um Contrato de Locação de Ativos. Somente este ano, a Sanema aplicou R$ 6,5 milhões em obras e serviços. A ETE que vai atender toda a região está sendo construída numa área por trás do quartel do Exército. Assim como no caso do Benedito Bentes, o material resultado do processo de tratamento do esgoto poderá ser devolvido ao meio ambiente ou reaproveitado para fins industriais e de agricultura.

Além do Farol, também serão contemplados com coleta e tratamento de esgoto Pitanguinha, Gruta de Lourdes, Jardim Petrópolis, Canaã, Santo Amaro e Ouro Preto, num total estimado de 200 mil pessoas. A previsão é que esse sistema também seja finalizado nos próximos 18 meses.

Conforme o presidente da Casal, quando o sistema entrar em operação, os moradores serão avisados e terão que desativar as fossas sépticas e sumidouros dos imóveis, interligando-se à rede coletora. “Isso vai trazer benefícios para o meio ambiente, para o conforto e a qualidade de vida das pessoas. Investir em saneamento traz reflexos positivos para a saúde pública”, argumentou Clécio Falcão.

Agência Alagoas

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Alagoas é destaque nacional na qualidade dos dados sobre vítimas de acidentes de trânsito

Estado saiu da última posição para o 4º lugar no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM); dados auxiliam políticas para reduzir mortes


Alagoas saiu da última posição para o 4º lugar no ranking oficial sobre a qualidade de informação nas causas de morte no Brasil
Alagoas saiu da última posição para o 4º lugar no ranking oficial sobre a qualidade de informação nas causas de morte no Brasil Mácio Amaral
Texto de Mácio Amaral

A Lei Federal 13.614, implantada em 11 de janeiro de 2018, instituiu o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS) e adicionou o artigo 326-A ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB), com o propósito de reduzir pela metade e em um prazo de dez anos o índice nacional de mortos por grupo de veículos e habitantes. A Lei também definiu que os dados de acidentes deverão ser tratados e consolidados pelo órgão executivo de trânsito.
Em cumprimento à Lei e a partir de ações integradas com órgãos públicos vinculados ao trânsito, saúde e segurança, o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) atuou para tirar o estado do último lugar no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), posição que o levou a ser notificado através do programa Saúde Brasil. Depois de oito meses de trabalho, Alagoas está na 4ª posição no ranking oficial sobre a qualidade de informação nas causas de morte no Brasil.
Gestão de dados
O Ministério da Saúde acompanha, através de critérios oficiais do sistema SIM, o número total de mortos por meio das declarações de óbito (DO), que é o documento formal que as secretarias de Saúde recebem do Instituto Médico Legal (IML) e lançam no sistema. O conselheiro estadual de Trânsito, e, na época do trabalho, chefe de Segurança no Trânsito do Detran/AL, Antônio Monteiro,  explica como se dá esse processo: “Um dos acompanhamentos oficiais do Ministério é o modal que causou a morte, seja bicicleta, veículo pesado, carro, moto ou pedestre. Nos últimos cinco anos, Alagoas esteve sempre com o índice de 80% de não identificação do tipo de veículo”, afirma.
Para as mortes relacionadas ao trânsito, existem quase 100 códigos que identificam as características do Acidente de Transporte Terrestre (ATT) em questão. Esses códigos apontam se a vítima era pedestre, ciclista, condutora ou passageira e, ainda, se estava conduzindo algum veículo e qual o tipo. No entanto, na inexistência de maiores informações, a vítima é inclusa no último código possível, o V89, que indica o óbito em decorrência de acidente de trânsito, porém não especifica o tipo de veículo envolvido no acidente.
Em Alagoas, o cenário era de mais de 80% dos ATTs estarem codificados como V89, ou seja, a cada 10 mortes no trânsito, em oito não se sabia o tipo de veículo envolvido. Isto levou o Ministério da Saúde a notificar o estado, solicitando que a situação fosse revertida. Antônio ressalta que o trabalho de aperfeiçoamento desses dados foi coordenado pelo Detran, através da Chefia de Segurança no Trânsito, e o Conselho Estadual de Trânsito, acompanhando todos os órgãos.
Reconhecimento

Após oito meses de trabalho conjunto, o estado saiu da última colocação, com 500 vítimas sem a identificação do tipo de veículo do acidente, para o 4º lugar, com apenas 19 nessa situação. Foram realizadas visitas e mantidos diálogos com os órgãos vinculados ao trânsito para entender as especificidades de cada um, como o IML, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), as secretarias municipais de Saúde de Maceió e de Arapiraca, Hospital Geral do Estado (HGE), Hospital de Emergência do Agreste, Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg) e Secretaria de Segurança Pública (SSP) por meio do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac).
“Fizemos diversas reuniões para entender todo o processo de codificação. Uma vez entendido esse processo e adquirindo as informações necessárias, sete relatórios foram elaborados para esclarecer as ocorrências de trânsito. Isso fez com que, no fechamento do sistema, o estado de Alagoas saísse da pior posição no ranking da informação ‘Não especificada’, para figurar entre os cinco melhores”, conta o conselheiro estadual de Trânsito.
No fim de maio, o conselheiro foi convidado pelo Ministério da Saúde para participar do III Encontro sobre Melhoria da Qualidade da Informação sobre Causas de Morte no Brasil, em Natal, no Rio Grande do Norte. Lá, ele apresentou o trabalho que colocou o estado entre os melhores do Brasil no que diz respeito à qualidade de informação sobre vítimas de trânsito.
“O Detran de Alagoas continuará atuando para manter a qualidade dessas informações junto aos órgãos parceiros, e, a partir daí, promover políticas públicas cada vez mais qualificadas para a redução de mortes no trânsito”, concluiu Antonio.


segunda-feira, 10 de junho de 2019

Ações de combate à evasão de escola estadual viram referência nacional

Plano de ação da escola estadual Ângelo de Abreu, de Olho D’Água das Flores, Sertão de Alagoas, será publicado em e-book pela Elos Educacional, parceira da Fundação Lemann.


Escola Estadual Ângelo de Abreu, de Olho d'Água das Flores, vai representar AL em e-book sobre gestão escolar
Escola Estadual Ângelo de Abreu, de Olho d'Água das Flores, vai representar AL em e-book sobre gestão escolar Foto: Valdir Rocha
Texto de Manuella Nobre

A Escola Estadual Ângelo de Abreu, localizada no município de Olho D’Água da Flores, Sertão alagoano, será uma das sete escolas brasileiras selecionadas pela Elos Educacional, parceira da Fundação Lemann, para compor um livro digital (e-book) sobre boas práticas de gestão.

O plano de ação “Redução do abandono escolar no Ensino Médio” da Ângelo de Abreu foi elaborado a partir do curso de gestão de aprendizagem para diretores escolares ofertado por meio da parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e a Elos/Lemann. A experiência sertaneja foi uma das mais votadas no site da Elos Educacional e vai compor coletânea que terá como foco os desafios cotidianos de muitas escolas públicas do país.

Outra escola da rede estadual alagoana também participou da votação: a Escola Estadual Egídio Barbosa, de Palmeira dos Índios, que apresentou projeto de incentivo à leitura.

Na prática – De acordo com as gestoras adjuntas Maria das Graças Wanderley de Oliveira e Maria José Gomes dos Santos, a partir das ações, escola saiu de um percentual de abandono escolar de 14,83%, em 2017, para 4% no ano seguinte.

“Desenvolvemos diversas ações exitosas como: acompanhamento contínuo a frequência do aluno; contato frequente com familiares dos estudantes faltosos; elaboração do projeto aluno colaborador, que vai à casa do estudante faltoso para resgatá-lo e o projeto comércio escolar, uma parceria de sucesso, que vem inserindo muitos estudantes no mercado de trabalho e contribuindo para a permanência dele na escola”, explica Maria José.

Alcançamos parcialmente nossa meta, visto que houve uma significativa diminuição do número de estudantes evadidos. Por isto, a importância de se compartilhar este plano, que continua em ação e rendendo bons frutos”, comemora Maria das Graças. Além das duas Marias, a unidade tem como diretor-geral o professor Paulo André Araújo.

Resultado – As gestoras receberam com alegria a notícia de que representariam Alagoas na compilação da Elos Educacional. “Foi uma alegria enorme ter o nosso Plano como um dos mais bem votados e representar Alagoas neste livroAlém disso, temos a chance de compartilhar nossa experiência com outras escolas que enfrentam o mesmo problema. Garantir a permanência dos alunos na escola é uma condição necessária para que eles aprendam, desenvolvam-se e realizem os seus projetos de vida”, declara Maria José.
 Marta Tavares, gerente  da 6a Gere, diz que exemplo da escola merece ser copiado  (Foto: José Demétrio)
Para Maria das Graças, o reconhecimento fortalece a missão da instituição de ensino. “Estamos felizes, mas também nos sentimos com ainda mais responsabilidade para fazer com que o plano continue, renda bons frutos e que possamos alcançar nosso objetivo de reduzir ainda mais a evasão”, frisa a educadora.

gerente da 6ª Gerência Regional de Educação (Gere), Marta Tavares, parabeniza gestores, coordenadores, alunos e toda a comunidade da Ângelo Abreu pelas práticas e pela conquista. “A evasão escolar tem sido um dos desafios para quem trabalha com o Ensino Médio e este projeto merece ser copiado por outras escolas. Ter o plano da Escola Ângelo de Abreu selecionado para este e-book, é, para nós, motivo de grande alegria. Parabenizo aos órgãos do estado também, por oportunizarem para que nós, escolas da rede pública, possamos mostrar os nossos trabalhos e promover aquilo que nossos alunos mais gostam, que é a oportunidade de mostrar como eles podem ser protagonistas, como podem apresentar as suas potencialidades no desenvolvimento de trabalhos que estão sendo cada vez mais reconhecidos”, ressalta a gerente.

Compilação – Além da Ângelo de Abreu, foram selecionados para o ebook da Elos Educacional as seguintes instituições: C.E. Silvio Romero (Lagarto-SE); EMEF Manoel Francisco da Motta (Campina Grande – PB); E.M Maria A. de Andrade (Ponta Grossa – PR); CETI Padre Joaquim Nonato Gomes (Teresina - PI); EPG Siqueira Bueno (Guarulhos – SP); E.E Antônio de Azevedo –(Jardim do Seridó - RN).

Agência Alagoas